Uma das imagens que se tornou icônica nessa pandemia do novo coronavírus é a de profissionais da saúde na China utilizando um dispositivo similar a uma pistola, durante o processo de triagem e detecção de pessoas contaminadas com a COVID-19.

 

Este dispositivo nada mais é do que um termômetro com um leitor infravermelho para medir a temperatura das pessoas em trânsito em locais públicos e, dessa forma, detectar possíveis casos de temperatura elevada (estado febril), um dos sintomas do coronavírus. Essa triagem não garante a certeza de que o caso trata-se do coronavírus e também, pode deixar passar os casos onde a pessoa esteja contaminada, porem assintomática, mas não deixa de ser um recurso importante para os profissionais da saúde, que podem evitar o contato físico que seria necessário utilizando-se um termômetro convencional. Também, o tempo de contato com possíveis contaminados é diminuído drasticamente, já que essa medição leva poucos segundos, enquanto o uso do termômetro pode levar até 3 minutos.

 

E foi pensando neste mercado que a RealWear, fabricante do óculos HMT-1 desenvolveu uma solução para a saúde, que facilmente poderia ser aplicada a este processo e, provavelmente, seria ainda mais segura para os profissionais da saúde.

 

Veja como funciona solução da RealWear no vídeo abaixo:

Na demonstração deste vídeo, podemos ver o óculos HMT-1 sendo utilizado em conjunto com uma câmera FLIR infravermelha para detecção de temperaturas elevadas, ou mesmo, pequenas variações.

 

Mas quais seriam as vantagens dessa solução em relação ao “termômetro pistola”?

 

Vamos demonstrar com uma pequena lista:

  1. Como você pode notar no vídeo, essa solução detecta as variações de temperatura a uma distancia muito mais segura do paciente, o que seria uma vantagem em termos da mitigação de risco de contágio.

 

  1. Também é possível observar que o diagnóstico através da “pistola” só pode ser executado em um paciente por vez (1:1) enquanto a solução da câmera FLIR acoplada ao óculos HMT-1 da RealWear pode “escanear” muitas pessoas ao mesmo (1:N), bastando o profissional da saúde apontar a câmera na direção dos pacientes. Essa é uma grande vantagem para locais onde transita um grande número de pessoas.

 

  1. O sistema Android do óculos HMT-1 funciona através de comandos por reconhecimento de voz. Dessa forma, o processo pode ser executado sem o uso das mãos (hands free), o que mitiga ainda mais o risco de contaminação.

 

  1. Ainda falando sobre as vantagens de um processo hands free, o óculos HMT-1 também poderia ser utilizado nos ambientes de isolamento, como as UTIs que abrigam os pacientes em estágio avançado com problemas respiratórios. O HMT-1 possui nível de proteção IP 66 (nível de resistência para ingressão de líquidos e poeira), o que o torna altamente resistente para este tipo de ambiente e também, permite a sua esterilização com quaisquer tipos de produtos hospitalares que garantam a desinfecção do dispositivo e o tornem apto ao uso posterior, quantas vezes for necessário.

 

De maneira geral, a tecnologia pode ajudar de muitas formas no combate a pandemia da COVID-19. Este artigo da Forbes lista as principais soluções que estão sendo aplicadas, desde o uso de Inteligência Artificial no diagnóstico até a distribuição de equipamentos, que em alguns lugares está sendo testada através do uso de drones. A Quebeck também conta com uma linha bastante diversificada de produtos para a área da saúde!

 

Existem outros nichos nos quais os Especialistas da Quebeck acreditam que seja bastante aderente a solução do óculos RealWear HMT-1 com câmera FLIR infravermelha, tais como Utilities (Oil & Gas) e mesmo, companhias de saneamento básico. Este tema com certeza será abordado em breve, em um próximo post, mas você pode entrar em contato agora mesmo e obter maiores informações.

 

Até o próximo artigo!