Em tempos de COVID-19, um dos maiores desafios enfrentados pelos países onde a pandemia teve um alto índice de infecção é a disponibilidade de leitos, equipamentos (como os respiradores) e EPI’s (Equipamentos de Proteção Individual) para as equipes na linha frente. Mas este cenário pode ser pior ainda, por conta de ineficiência nos processos internos, gerando tempo de atendimento e espera, muito maiores que o necessário, o que impede um leito e os equipamentos de estarem disponíveis a tempo, para outro paciente.Neste artigo, falaremos sobre como a Quebeck pode solucionar com automação, os problemas de processo e rotinas de entrada de pacientes, rede, beira leito e farmácia, em hospitais.

 

Basicamente, um hospital tem que garantir, além de um ótimo atendimento, que todos os processos sejam muito assertivos. Começando pelo diagnóstico, que vai servir para que o médico recomende o tratamento correto, bem como os procedimentos e medicações necessárias. Além disso, deve existir um controle de estoque muito acurado para garantir a disponibilidade dos medicamentos na Emergência e também, para os pacientes internados. Funciona exatamente como qualquer empresa, com a responsabilidade adicional de se estar cuidando, literalmente, de vidas.

 

Vamos falar um pouco mais sobre os processos nas unidades de internação

Como é o processo sem automação? 

O paciente é internado e o seu prontuário é escrito em um formulário de papel, que fica sob responsabilidade da enfermagem. Cada atualização no andamento do tratamento deve ser feita neste mesmo formulário durante a rotina de beira leito. A confirmação da identidade do paciente ocorre através de perguntas de segurança como “Qual sua data de nascimento” ou “Qual seu Nome Completo”. Os remédios são ministrados de acordo com o prontuário e a enfermagem deve fazer uma checagem manual minuciosa para garantir que está aplicando o remédio certo, na dose certa. Ao final do expediente, a enfermagem ainda deve que transpor todas as informações do prontuário de papel para o computador, acarretando horas extras e retrabalho.

 

Já a farmácia do hospital, terá dificuldade para gerir bem o estoque, pois além de controlar as quantidades, existe a necessidade da rastreabilidade do medicamento (para qual paciente foi destinado), validade e cobrança correta da fatura. Erros de fatura são frequentes em cenários pouco automatizados e geram prejuízos significativos para os hospitais e convênios.

 

Como funciona a solução da Quebeck para automação do processo?

Vamos começar pela entrada do paciente no hospital. Nessa etapa é fundamental identifica-lo e, para isso, temos as soluções de impressoras de pulseiras com código de barras. A partir daqui, qualquer medicação necessária, deverá ser atrelada ao código do paciente e, no momento antes de ministrar o medicamento, a enfermagem deverá fazer a leitura, tanto do código do paciente, como do código de barras do medicamento. Este processo agora será garantido contra erros, pela tecnologia, que fará a confirmação do paciente, medicamento e dose certa. Mesmo o paciente estando inconsciente, não existirá margem para erros deste tipo.

Outra necessidade básica é uma boa rede wi-fi, com cobertura ampla das áreas onde os equipamentos serão utilizados e capacidade suficiente para uso simultâneo e tráfego de dados em alta velocidade.

O próximo passo é transformar os prontuários e demais arquivos utilizados em papel para formulários digitais que rodarão dentro do software de prontuário eletrônico do paciente (PEP). A escolha do software é importante para o projeto.

Definido o software, é hora de definir o dispositivo móvel a ser utilizado pelo corpo de enfermagem para as rotinas de beira leito. A avaliação do equipamento ideal vai ser guiada pela necessidade de robustez, devido ao uso em ambientes com alto nível de contaminação, como uma UTI, Sistema Operacional para rodar o software e tamanho de tela, à depender do tipo de demanda. A Quebeck possui os melhores coletores de dados e tablets para a área da saúde.

Na farmácia, o dispositivo ideal para inventário é o coletor de dados, que pode ser usado para acessar o sistema de controle do estoque, bem como efetuar leitura dos códigos de barras de cada medicamento. O inventário passa a ser todo automatizado e o controle garantido pelo sistema. A localização dos medicamentos é muito mais rápida e precisa, assim como o abastecimento constante da farmácia. Os erros são reduzidos praticamente a zero, o que incluir menos prejuízos e custos operacionais.

 

Principais benefícios da solução de saúde da Quebeck 

  1. Eficiência e precisão nos processos de atendimento;
  2. Aumento da rentabilidade através do controle mais efetivo, reduzindo perdas e custos operacionais;
  3. Maior satisfação do paciente, através da qualidade e agilidade no atendimento;
  4. Maior produtividade e satisfação da mão de obra, que trabalhará com mais eficiência, sem a necessidade de retrabalhos

A Quebeck atende a projetos na área da saúde a alguns anos e possui inclusive, case de sucesso em hospitais. Caso tenha necessidade ou projeto que demandem as nossas soluções para a área da saúde, entre em contato.

 

Nos vemos no próximo artigo!